UM VOYEUR DE SI MESMO

um_voyeur_de_si_mesmo

Hoje (amanhã sei lá…) é assim que me sinto: vendo-me pelo buraco da fechadura

No idioma francês, a palavra voyeur significa “aquele que vê”, e por isso descreve uma pessoa que gosta de observar os outros sem participar, tirando fotos ou gravando momentos íntimos ou privados de outros indivíduos.

Na maior parte das vezes, o voyeur não costuma se relacionar diretamente com as pessoas que observa e espia essas pessoas porque isso lhe dá algum prazer sexual. Em muitos casos, o voyeurismo é uma invasão de privacidade, porque as pessoas são observadas sem o seu consentimento

In http://www.significados.com.br/voyeur/ outubro de 2015

Estou portanto sendo, neste momento, “aquele que (se) vê” e também “uma pessoa que gosta de observar os outros sem participar”, com a diferença, essencial, que este “outro” sou eu mesmo.

Vale também a ideia “Na maior parte das vezes, o voyeur não costuma se relacionar diretamente com as pessoas que observa e espia essas pessoas porque isso lhe dá algum prazer…”

Não se trata de prazer sexual por certo e nem sei se se trata de prazer mas vá lá que seja (prazer).

 

Diz Fernando Pessoa

Gato que brincas na rua

Como se fosse na cama,

Invejo a sorte que é tua

Porque nem sorte se chama.

 

Bom servo das leis fatais

Que regem pedras e gentes,

Que tens instintos gerais

E sentes só o que sentes.

 

És feliz porque és assim,

Todo o nada que és é teu.

Eu vejo-me e estou sem mim,

Conheço-me e não sou eu.

 

Observo-me também “sem o meu conhecimento” e estou “invadindo a minha privacidade”.

Devo processar-me num tribunal em que seja juiz, réu, promotor e mau advogado de mim mesmo.

De que sou acusado?

De buscar fotografar-me sem meu consentimento, ou talvez mais grave ainda, de ocultação de cadáver.

Porque aquele ser que eu era morreu e seu cadáver encontra-se escondido em algum lugar incerto e mal sabido, menos por mim.

Com efeito, nas minhas sessões de voyeurismo vejo-o contente, tocando a vida mas como, para todos os efeitos legais, este ser morreu não posso defender-me decentemente da acusação de ocultação de cadáver e, ademais, necrofilia.

Dias melhores virão.

UM VOYEUR DE SI MESMO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s