A OFERTA E A PROCURA DE PESSOAS NO UNIVERSO VIRTUAL

a oferta e a procuraDepois de viúvo passei a frequentar sites que buscam colocar em contato pessoas que querem se relacionar afetivamente: já falei aqui sobre isso.

Mas fico me perguntando sem conseguir responder com clareza em que consistem efetivamente tais espaços.

Evidentemente são oportunidades de negócio para os que os disponibilizam e um serviço a ser comprado por consumidores que desejam um companheiro (a).

Até aí as coisas são simples.

Mas começam a se complicar quando se admite que as pessoas que lá figuram estão, de um certo modo mas seguramente, vendendo-se e comprando na medida em que vender é, também, anunciar os atributos do objeto à venda e comprar é, também, entrar na posse de um bem, no caso um companheiro (permanente, provisório, não vem ao caso).

Não se trata exatamente de um lugar de encontros como eram antigamente as igrejas ou bares; as pessoas nestes sites não se expõe elas se anunciam, se apresentam, se descrevem usando a fotografia e a palavra.

A partir daí criam-se ou não relações virtuais na expectativa de que, quando criadas, delas decorram relações humanas diretas.

Participo destes sites na qualidade de um homem que busca uma mulher, mais precisamente de um homem de 69 anos que busca uma mulher, digamos, compatível.

E aí observo diversas coisas que considero dignas de nota.

Os enquadramentos prévios ou seja as categorias prévias para operar a descrição verbal. A simples existência de tais categorias já empobrece a descrição mesmo que algumas (raras) mulheres busquem contornar o problema com descrições mais honestas.

O autoelogio quase sempre predomina, o que é explicável mas sempre suspeito.

Quanto às fotografias é muito sintomático o uso reiterado dos óculos escuros (pergunta-se para que) sem contar os ângulos favoráveis.

Enfim as informações enviadas fazem com que o receptor do outro lado forme uma imagem do emissor que é sempre falha, incompleta, as vezes completamente deformada.

Acredito porém, é minha hipótese, que nesse tipo de comércio não há propaganda enganosa. Trata-se simplesmente de efeitos necessários do mundo virtual.

Mesmo quando as pessoas se ajustam (há casos, talvez até muitos, bem sucedidos) elas estabelecem um espaço definitivo: não haverá nunca mais um encontro como havia antes: a marca do virtual permanecerá para sempre.

Isso é mau? Não, é um “point of no return”.

O mundo mudou, sem volta e os efeitos desta mudança podem ser deletérios para quem, como eu, nasceu em outra era.

Talvez não saiba mais como encontrar. Preciso aprender ou desistir.

A OFERTA E A PROCURA DE PESSOAS NO UNIVERSO VIRTUAL

Um comentário sobre “A OFERTA E A PROCURA DE PESSOAS NO UNIVERSO VIRTUAL

  1. Sinto que os hábitos estão mudando rápido ou os nossos dias terminam muito depressa… As pessoas conversam menos. Não há tempo para a cordialidade. Os compromissos, os horários, são mais importantes que as pessoas. Vejo isto no trânsito também. Competição, velocidade, Pode ser o mal da metrópole. Mas, também nas cidades pequenas, o que se conversa? As pessoas se exilam em seus guetos particulares e se comunicam via internet, whatsapp e outros meios. O contato pessoal direto está cada vez mais reduzido. No ambiente de trabalho, onde existe a competição? As pessoas sentem a necessidade de encontrar companhias, mas não sabem como e onde. Jogam suas fichas nas maravilhas e nos passes de mágica dos “sites” de relacionamento, que criam essas ilusões, que dão certo para alguns poucos, acredito. Enfim, sinal dos tempos…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s