DOMA RACIONAL: QUANDO O CAVALO SOU EU

doma_racional

O texto escrito é uma externalidade da consciência e produzi-lo uma ação disciplinadora por parte da linguagem, algo que bem poderia ser chamado de Doma Racional por analogia com a técnica de domar cavalos que tem esta denominação, sendo que o cavalo ou, mais precisamente o bicho, neste caso, é o inconsciente, esta nossa dimensão permanentemente inquieta e sempre selvagem, fora de controle.

A doma racional de cavalos é a substituição das técnicas violentas de amansar cavalos pelo uso de procedimentos não violentos destinados, no fundo, a converter os cavalos à mansidão.

Não penso que terapeuticamente (pelo menos para mim) escrever seja o mesmo que falar. Escrever, acho, não tem a ver com a freudiana associação livre de ideias. Ao contrário é uma escravidão à norma, e isso foi e será importante para mim.

Quero domar-me pela escrita.

Neste caso o destinatário privilegiado do texto sou eu mesmo e os que por ventura o lerem poderão com ele se identificar se nossas experiências de vida forem compartilháveis.

Precisei recorrer à escrita para barrar em mim um sentimento desastroso de perda que, mantido selvagem, me levaria à destruição como pessoa.

Escrever tem me ajudado muito na superação e ler isso tudo pode, acho, ser de utilidade para os que também sofrem ou simpatizam com o sofrimento alheio.

(Escrever é auto-terapia mas a hétero é indispensável, penso, para lidar com este potro bravo que em todos nós reside).

Tenho hoje (agosto de 2015) 69 de idade e espero manter a lucidez nos próximos anos até um pouco antes do fim. No final é até aceitável ser “tirado da tomada”.

Para isso, para manter a lucidez, será preciso escrever, sempre, como um vício, nem que seja só para mim, para me ver nas palavras e domado por elas.

DOMA RACIONAL: QUANDO O CAVALO SOU EU

2 comentários sobre “DOMA RACIONAL: QUANDO O CAVALO SOU EU

  1. Odete Santelle disse:

    Olá querido Fernando,
    Escrevo como resposta porque estou sem acesso à página de comentários. Curto seu jeito de lidar com esse vazio. A figura do cavalo sendo domado é interessante, pois o pensamento é teimoso quando lidamos com perdas e frustraçōes. Fuerça! Abraço Odete
    Enviado do meu iPhone

    >

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s