UMA CERTA MÃO ESQUERDA

uma-certa-mao-esquerdaAh… os fins de semana!

Os dias da semana até que eram bem ocupados com o trabalho e as tarefas domésticas. O difícil era a solidão amarga que os sábados e domingos carregam.

A rigor a vida não fazia mais sentido: tudo que tinha que ser feito já fora feito, não havia mais nada a fazer.

Ela, pelo contrário, cheia de vida, energia, projetos, coisas a fazer para mudar o mundo.

Os dois deveriam se encontrar, se completariam. Teriam sido feitos um para o outro.

Era um sábado vazio quando o telefone tocou.

– Puxa que bom ouvir tua voz

– Então (longa pausa) … me deu vontade de te ligar.

– Assim, simplesmente?

-Não…é que eu estou com algumas dúvidas sobre a tarefa.

Ficaram conversando uma boa meia hora e foi bom, muito mesmo, uma lufada de alegria depois de tanto tempo.

Alguns dias passados a campainha tocou e uma sensação de leveza, de alegria carnal, materializou-se naquele espaço.

Uma energia vinda de um corpo que sorri, de uns olhos atentos, interessados no mundo.

– Um café?

– Sim, pode ser

– E daí? Fez a lição?

– Fiz

– Que bom!

Impossível não olhar para a mão esquerda para ver se lá estava plantada uma aliança. Ou mesmo na direita.

O fato é que ali havia energia.

Ou se tratava apenas de uma fantasia?

(É preciso que aconteça, de fato, algo para que alguma coisa exista? Vamos supor que tivesse acontecido, efetivamente, uma troca lasciva de olhares seguida das habituais consequências? O que teria isso de diferente de apenas imaginar tal situação?).

Restava contudo o problema da aliança…

… resolvido mais tarde quando fui informado pela internet que ela era casada e que, ademais, tinha alguns (muitos) anos a menos do que o bom senso manda.

Pouco tempo depois eis que aparece na internet uma mensagem dela, vagamente carinhosa mas o bastante para que ressurgisse das cinzas um certo frisson.

Oh céus, o que fazer?

Porque recusar sentir? Afinal a adolescência extemporânea pode ser um antídoto da dor, da morte, das histórias sem solução.

  1. Esta história é quase totalmente ficcional.
UMA CERTA MÃO ESQUERDA

4 comentários sobre “UMA CERTA MÃO ESQUERDA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s